Rota dos Cânions na Serra Catarinense

Olá, estou de volta com mais um post de viagem para inspirar vocês.

Nosso país esta repleto de belezas naturais né, e o melhor, tem para todos os gostos, tem cerrado, caatinga, pantanal, pampa, mata, tem praia, tem cachoeira, tem montanha, tem dunas, lugares lindos que mostram o quanto somos pequenos e o quanto a natureza pode ser majestosa.

Aproveitamos o feriado de 7 de setembro para cair na estrada e visitar os Cânions da Serra Catarinense. Para quem não sabe a rota dos Cânions contempla os estados de SC e RS, começa em Bom Jardim da Serra/ SC e termina Cambará do Sul/RS. Fiz um roteiro a fim de conhecer os cânions, a Serra do Rio do Rastro e a cidade de Urubici. Para nossa alegria a previsão do tempo indicava tempo firme e sem neblina, perfeito para contemplar a serra.

P_20180907_091349

Nossa primeira parada foi em Urubici, nosso objetivo era visitar o Morro da Igreja que fica no Parque Nacional São Joaquim, um lugar lindo que tem visitação gratuita e é de fácil acesso.

O Morro da Igreja fica em área restrita,  para visitar é preciso de uma autorização prévia  que deve ser retirada na sede do ICMBio na cidade de Urubici, o endereço é Av. Pedro Bernardo Warmling, 1542 CEP: 88.650-000, é bem fácil achar, a visita não tem custo, você só vai preencher seus dados de contato, o horário de subida é das 8 as 17hs. Chegamos na cede por volta das 10hs, tinha uma pequena fila para pegar a autorização, mas não demorou mais que 15min, depois seguimos para o morro. O acesso é por ordem de chegada e tem um limite diário de 200 carros, portanto em dias de movimento as autorizações podem acabar  cedo, a subida do morro também é feita por ordem de chegada, e uma vez estando no topo pode permanecer lá por 15min. Quando chegamos tinham uns 20 carros da nossa frente, mas esperamos em torno de 15min também até chegar nossa vez. Fique atento, sem a autorização nem adiante subir o morro pois não vão deixar passar. Na base do Morro ainda é possível visitar a Cascata Véu de Noiva, dentro de uma propriedade particular com restaurante.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Há, o acesso ao morro esta fechado para obras de melhorias na rodovia, as obras devem durar até o próximo ano, mas eles estão abrindo em feriados, por isso conseguimos fazer a visita, mas recomendo acessar o site ou ligar antes para se certificar de que mesmo sendo um feriado estará aberto. Segue os links para contato Urubici, ICMBio e o telefone  (49)  3278-4994.

Depois de visitar o morro da igreja paramos para comprar um lanche e seguimos para Bom jardim da Serra, onde ficam os Cânions e onde nos hospedamos. Se seu passeio tem o intuito de conhecer os Cânions é melhor se hospedar em Bom Jardim, é mais perto e mais prático. O caminho é um charme só, embora seja bem sinuoso, o asfalto é bom e as paisagens são lindas. Chegamos em Bom Jardim logo após o meio dia e seguimos direto para a Fazenda Rincão de Palha onde nos hospedamos. A localização da fazenda não poderia ser melhor, o Cânion das Laranjeiras fica dentro da propriedade da fazenda, e os donos fazem o passeio.

Chegamos no inicio da tarde quando o almoço estava sendo servido, o almoço era um belo churrasco, uma pena que já tínhamos comido no caminho. Logo após nos instalarmos na fazenda seguimos para o passeio, fomos com carro 4×4 com o filho do proprietário, o Benito, que além de nos mostrar o lugar de uma maneira especial nos deu uma aula sobre a biodiversidade da serra.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O carro nos leva até próximo do cânion, passando por um terreno bem irregular, depois seguimos a pé até ele, contornamos toda sua borda. Terminamos o primeiro dia encantados, o Cânions das Laranjeiras é muito lindo, tem 3 cachoeiras que quebram o silêncio e deixam o lugar ainda mais belo. As fotos não mostram a verdadeira beleza do lugar que é sensacional. Ficamos nele até o pôr do sol e ainda fomos contemplados com a visita de uma raposa vermelha, lindaa.

No dia seguinte acordamos cedo tomamos o café da manhã na fazenda e saímos para conhecer o Cânion da Ronda. O Cânion da Ronda fica no sopé da serra do Rio do Rastro, também fica dentro de uma propriedade particular e o valor para conhecer é de R$10,00 por pessoa, a vantagem dele é que não precisa de guia, e pode ir de carro. A entrada fica a esquerda de quem sobe a serra, antes do mirante, tem um portal que identifica, é a mesma entrada para quem quer conhecer o parque eólico. O carro vai até um lugar bem perto do cânion, é acessível para quase todos, pessoas com mobilidade reduzida podem ter problemas para acessar. Do estacionamento uma escadaria e depois caminhada leve de menos de 5 min levam a borda do Cânion.

Ele é diferente do Cânion das laranjeiras, a formação é completamente diferente, mas igualmente encantador. No mesmo local esta o parque eólico, é possível ir bem perto das torres de energia. O lugar é incrível, sentar em silêncio e contemplar a beleza renova as energias.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Depois de conhecer o Cânion fomos até o mirante  para ver a Serra do Rio do Rastro. Como era um sábado de feriado o mirante estava bem cheio. No mirante é possível fazer um passeio de helicóptero e ver as belezas de cima.

A tarde reservamos para conhecer o Cânion do Funil que fica na propriedade do Sr. Miguel, quem quer conhecer pode combinar direto com ele ou com a empresa Tribo da Serra que faz os passeios, o contato do Sr. Miguel é (49) 99127-1014, o valor varia, mas a média é de R$130,00 por pessoa. Confesso que depois do almoço bateu aquela preguiça e desistimos do passeio, rodamos por Bom Jardim e voltamos para a fazenda, la fizemos um passeio a cavalo e descansamos.

Nos programamos para voltar descendo a Serra, mas como na ida pegamos muuuuuito transito na BR 101, desistimos de voltar por ela e voltamos por um caminho alternativo. Como visitamos a Serra no sábado de manhã não sentimos necessidade de descer ela.

Algumas considerações sobre os lugares.

A serra é linda, as paisagens mudam o tempo todo, é fazer uma curva e se deparar com uma cachoeira, Bom Jardim é conhecida como a cidade das águas, as cachoeiras lá são abundantes, é muito lindo.

Bom Jardim não é uma cidade com uma grande estrutura, as coisas lá são simples, pousadas simples, restaurantes simples, porém os preços não são nada simples, são preços de turismo em cidades com mais estrutura.

A estrada que leva até a fazenda é toda de terra e alguns trechos são extremamente esburacados, carros baixos podem ter grandes dificuldades em passar.

Quanto a hospedagem na fazenda, embora os donos sejam extremante cordiais e tratam todos como membros da família ficamos um pouco decepcionados. As acomodações são perfeitas, não tenho do que reclamar, porém o café da manhã por exemplo não era grandioso, tinha pão, presunto, queijo, duas frutas, café, leite e suco, eu esperava um café da manhã tipico de fazenda, com bolos, salames, queijos coloniais, enfim, ficamos decepcionados. Nos decepcionamos também com a organização, pedimos um passeio de cavalo as 15:30hs, ficamos esperando e eram 17:45 quase anoitecendo quando os cavalos ficaram prontos, o passeio era para ser de uma hora porém não durou isso e já anoiteceu, o capataz da fazenda também ficou assustando os cavalos para que eles apressassem, eles ficavam nervosos e trotavam, para quem esta acostumado acho que tudo bem, mas era meu primeiro passeio de cavalo na vida não foi uma experiência nada agradável, no final da estadia veio a conta com o passeio cobrado por uma hora. Então qual minha opinião? Os donos são pessoas incríveis, mas o valor cobrado pela estadia não entrega vantagens, como não tem atividades na fazenda eu achei que o valor cobrado é injusto. Todas as atividades e alimentação são cobradas a parte.

Sobre os valores, o passeio de carro 4×4 custa R$100,00 por pessoa, o valor serve tanto para hospedes como para pessoas que façam somente o passeio. Abaixo a relação completa dos valores .

WhatsApp Image 2018-08-30 at 12.42.18 (1)

Sobre os Cânions são lindos e valem o passeio, nos mostram o quanto somos pequenos e insignificantes, fazem refletir sobre a vida que levamos.

Mais algumas fotos da fazenda e das redondezas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Espero que tenham gostado, já já tem mais viagens pra inspirar vocês.

Beijos e até o próximo ♥

 

 

 

Africa do Sul: Interação com felinos.

Oi

Confesso que não sei nem por onde começar. Esse post é para falar de um lugar incrível onde realizei sonhos. Um lugar que se esforça diariamente para pesquisar e proteger animais que são tão vulneráveis na natureza. Um lugar com pessoas que amam o que fazem e fazem por amor. Convido-lhes a conhecer esse lugar e se apaixonar assim como eu.

Enquanto pesquisava sobre atividades e passeios na África do Sul descobri que existem alguns parques onde é possível interagir com leões, isso chamou minha atenção, mas a preocupação com a maneira que esses animais são tratados para a interação me despertou um alerta, por isso decidi entrar em contato com o departamento de Turismo da África do Sul para me certificar de que esses lugares se preocupam com os animais em primeiro lugar. E foi assim que conheci o Ukutula Lodge & Conservation Center (UCC), recomendado pelo Departamento de Turismo da África do Sul.

262781a.jpg.1366x768_q85_crop_upscale
Ukutula Lodge & Conservation Center (Foto: reprodução do site Ukutula)

O Ukutula é uma instituição de pesquisa e conservação de classe mundial, que fica a 130km do aeroporto de Johannesburg, na cidade de Brits, especializada em pesquisa genética de mamíferos e conservação de predadores, dedica-se à conservação da vida selvagem e à preservação da diversidade biológica e genética. Todos os procedimentos feitos com os animais na UCC são conduzidos com total apoio e assistência veterinária, tratando todos os animais com respeito, dignidade e compaixão. Garantir a conservação de longo prazo é a contribuição da pesquisa científica realizada pelo UCC. Para conhecer mais sobre o centro acesse o link Ukutula.

infographic-1200
Pesquisa realizada pelo UCC (Imagem: reprodução do site Ukutula)

 

Nem precisa falar que assim que li sobre o local já fiquei impressionada e com muita vontade de conhecer. Pois bem, para tornar a experiência ainda mais incrível é possível se hospedar no Ukutula e ficar ainda mais conectado a vida selvagem, já que no local funciona um lodge com toda a infraestrutura. Um lugar lindo, com conforto e segurança.

101_1254
Os lodges

Um dos maiores atrativos do local são os leões, existem dezenas deles de todas as idades, mas não é só isso, no centro tem hienas, tigres, guepardos, lince, uma variedade de antílopes, zebras e girafas.

A aventura começa ao passar o portal de entrada, do portal até os lodges tem uma distância de mais ou menos 3km que são feitos já na savana africana, no caminho é possível avistar antílopes, girafas, zebras, macacos, avestruz dentre outros animais. Inclusive no dia em que fomos embora tinha uma placa dizendo para não sair do veículo pois os leões estavam soltos caçando (não sei se realmente tinham leões soltos, nós não vimos nenhum).

Ukutula3
Portal de entrada do Ukutula

O Ukutula tem diversas atividades, que podem ser feitas independentemente de estar ou não hospedado no local (para os que não estão hospedados é necessário agendar a visita). Para os hospedes a principal atividade a interação com os filhotes e adolescentes, já esta inclusa no valor da diária. Dentre as atividades estão:

Lion Interaction: Essa atividade é uma das melhores na minha opinião, consiste em um passeio pelo centro onde um guia explica o comportamento de cada animal, durante o passeio passamos pelos recintos dos leões adultos, leões brancos, hienas, tigres, guepardos, lince e outros felinos. Conhecemos também o centro de preservação e um pouco do trabalho que fazem no local. Interagimos com guepardos (sim entramos no recinto e fazemos carinho neles) e no final brincamos com os filhotes de leão (melhor parte do passeio). Esse passeio tem uma duração de 2:30hs com intervalo para um lanche, custa R650 por adulto e R300 crianças, passeio acontece as 10 e as 14hs de cada dia. Há esse passeio já esta incluso na diária é pode ser feito nos dois períodos do dia.

P_20180510_124056_vHDR_Auto_HP
Interagindo com um filhote de leão

Walk With Lions: Esse passeio é uma caminhada com leões jovens na savana africana, isso mesmo, os turistas podem andar com os jovens leões enquanto o guia alimenta os animais. Nesse passeio os turistas vão andar a uma distância pequena dos leões, e não podem tocar neles. O passeio custa R850,00 por pessoa e tem uma duração media de 1h, é feito de segunda a sexta as 8hs e as 16hs, nele é proibido crianças menores de 12 anos ou menores de 1,5mts, isso porque os animais vivem em cativeiro, mas são selvagens e podem atacar.

40869517
Caminhada com Leões (Foto: reprodução da internet)

 

Day Package (Walk With Lions + Lion Interaction: é o mais comum para quem vai passar o dia no local, é uma junção dos dois passeios, primeiro conhece o local, interage com os filhotes e ao final passeia com os leões.  Custo R1150 por pessoas, não é permitido crianças menores de 12 anos ou menores de 1,5mts.

Guided Game Drives: Além desses passeios é possível fazer um safári para avistar os antílopes, girafas, zebras e outros animais que vivem no local. O custo varia, tem o Game Drive (safari truck) que tem uma duração média de uma hora custa R220.00 por adulto e crianças menores de 10  anos custa R110.00. E tem ainda o Night Drive que custa R275.00 por adulto e R137.50 por criança menor de 10 anos.

game-1200
Animais na reserva (Foto: reprodução do site Ukutula)

Bom o que dizer dos passeios, fizemos duas vezes o Lion Interaction, e saímos apaixonados, em nenhuma das vezes foi igual, de manhã os animais estavam quase todos dormindo, leões dormem muito, já a tarde estavam mais despertos o que tornou a interação mais interessante. Os outros passeios não fizemos, a caminhada não nos sentimos seguros, durante o passeio passamos pelo recinto dos leões e só de vê-los ja foi suficiente para nós. Já o safári não fizemos porque estávamos indo para a reserva de Madikwe e íamos enjoar de tantos safáris que faríamos, e o centro não tem muitos animais, achamos que não valia a pena.

Sobre as interações…

A interação acontece durante o passeio, primeiro foi com os Guepardos, onde é possível ficar dentro do recinto deles, fazer carinho e se ele ou ela for com sua cara ele vai lamber sua mão até você enjoar, hehehe. Os funcionários estão o tempo todo junto, tornando a experiência segura. Crianças pequenas não podem entrar no recinto.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Depois interagimos com os leões adolescentes, filhotes de 6 meses que adoram brincar, experimente pegar uma bola e jogar, ou arrastar um pedaço de madeira, esta feita a festa. Se estiverem acordados são bem ativos, precisa ficar atendo a eles, não dar as costas e não deixar se aproximarem muito, mas são uma graça. Há, crianças pequenas também não podem entrar no recinto.

Este slideshow necessita de JavaScript.

E depois a parte mais fofa da experiência, interagir com bebês leões. É muito incrível poder brincar, tocar nesses animais tão imponentes. Essa atividade pode ser feita por todos inclusive as crianças pequenas, no recinto ficamos em torno de 30min que passam voando, os filhotes de leões são muito fofos, não da vontade de ir embora. No dia em que fomos tinham somente filhotes de leões, mas se der sorte pode ter filhotes de tigres, guepardos e outros felinos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Outra experiência incrível de passar a noite lá foi ouvir os leões rugirem, a noite eles rugem muito e muito alto, é de arrepiar.

Agora uma informação alarmante retirada do site Ukutula. Globalmente, todos os grandes números de mamíferos diminuíram a uma taxa chocante nos últimos 200 anos (90 – 98%) – principalmente devido a ações humanas destrutivas diretas e indiretas! De fato, as populações de leões em grande parte da África estão indo em direção à extinção mais rapidamente do que se pensava, diminuindo de 1,2 milhão (1800) para menos de 25 000 (2016). Como um ágil predador africano, este drástico declínio no número de leões, destaca uma crise global de conservação muito mais ampla…

Algumas fotos do local e dos animais que ali vivem.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Espero que tenham gostado, caso queiram mais informações acessem os destaques do meu instagran onde compartilhei a experiência vivida no local, @deiabonetti .

Beijos e até o próximo ♥

Programando a viagem para Cancún

Oiii

Hoje vim aqui contar pra vocês um pouco do que será nossa próxima viagem de férias, o destino é incrível e tenho certeza que vocês vão gostar.

Finalmente decidimos o destino da nossa próxima viagem e a expectativa para a chegada é grande. A viagem esta programada para o mês de novembro mês em que a temporada de furacões já esta acabando, essa foi uma preocupação levantada na programação da viagem porque o caribe é rota de furacões, mas nesse período as chances são mínimas, a quem possa interessar a temporada de furacões é de junho a novembro, porém o período de maior atividade é de agosto a outubro. No site melhores destinos tem um post sobre furacões bem interessante, acesse aqui.

caribe1

Uma vez decidido o destino foi hora de buscar as melhores condições de passagens e hotéis, foram alguns dias de monitoramento de valores até que um belo dia la estava, uma promoção no site decolar.com para Cancún a R$1820 com taxas, era o que queríamos. Finalmente o sonho de ir para o Caribe começa a tomar forma.

Mirador-Cancun

O Voo comprado não é la dos melhores, mas é bem tranquilo, sai de SP as 02:10 e as 5:13 esta em Bogotá, na capital Colombiana ficamos somente até as 15:30 onde embarcamos rumo a Cancun e chegamos as 19:30, ao todo são 10hs de voo. Embora nossa passagem por Bogotá seja rápida vai dar tempo de dar uma volta na capital, tomar um café e almoçar, antes de partir para o paraíso caribenho.

17688613

Como vamos chegar a noite em Cancun optamos por ficar em um hotel  no centro e no dia seguinte “iniciar” nossa estadia. Consultamos muitas opção e para nossa surpresa e alegria o Ibis tinha quartos disponíveis na data que queríamos. É muito bom poder ficar em um hotel que conhecemos e ainda pagar pouco, a diária do Ibis esta em média R$150,00. A localização é perfeita, fica de frente para um shopping e próximo a tudo, melhor custo beneficio impossível.

Sem título

Pesquisar é a melhor forma de gastar menos em uma viagem, existe uma infinidades de blogs com dicas de viagem e não é nem um pouco feio economizar, foi assim, pesquisando que descobrimos que o aluguel de carro em Cancun sai em media R$40,00 a diária, isso mesmo, sai mais barato alugar um carro do que usar Uber. No site Decolar.com, ( isso não é publipost, quem dera fosse hehehe ) tem várias opções e modelos que cabem em diferentes bolsos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Como optamos em alugar um carro, decidimos que o primeiro dia será reservado para passeios, aproveitando a comodidade de locomoção, vamos rodar e conhecer o máximo possível, fazer compras, li que tem uns shoppings ótimos, o La Isla foi o mais comentado nos blogs de viagens, e fica a 13kms do Ibis. Vamos aproveitar ainda para visitar umas praias.

islashop4

No dia seguinte a ideia é fazer um passeio ate a Ilsa Mujeres, o passeio é feito de catamarã, custa em média R$250,00 por pessoa e dura um dia inteiro, a saída é feita no Punta Sam ferry terminal que fica a 11km do Ibis. A ilha tem diversas atrações, pode-se fazer mergulhos, canoagem, trilhas, esportes subaquáticos e até nadar com golfinhos. Há tem também um museu subaquático, mas esse me recuso a ver porque pelas fotos já fiquei muito agoniada. O passeio retorna da ilha no final do dia.

Depois disso será somente sol, sombra e água fresca. A ideia é ficar os próximos 7 dias somente no hotel curtindo a praia e quando enjoar ir para a piscina, comer, dormir e começar tudo novamente. Os hotéis escolhidos ficam na zona hoteleira na beira daquele mar feio do Caribe. Vou contar tudo sobre eles em outro post, mas já podem ficar com uma previa do que vem por ai.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Por enquanto é isso, prometo contar tudo sobre a viagem, trazer muitas dicas. Mas também prometo voltar bronzeada e pesando muitos quilos a mais, heheheh.

Beijos e até o próximo.

Viagem para SP

O post de hoje é sobre minha primeira viagem para SP, o que fizemos, onde fomos, o que mais gostei e o que não gostei da cidade. Infelizmente sem muitas fotos, porque fico fazendo insta histories e esqueço de tirar, hehehe, aproveita e me segue no instagran para conferir tudo.

A viagem foi no feriado de 15 de junho, aproveitamos esses dois dias a mais para um passeio, saímos de Curitiba na quinta-feira de manhã e as 11hs estávamos no aeroporto de Congonhas, até então, tudo que eu conhecia de SP era a vista do aeroporto, não posso sair dizendo que agora conheço São Paulo, mas tenho uma pequena noção.

Almoçamos e decidimos dar uma caminhada, fomos até o Shopping Paulista que ficava bem perto de onde estávamos. Foi muito bom, aproveitamos que a Av. Paulista estava fechada para dar uma caminhada nela e conhecer um pouco, desde a famosa pintura do Oscar Niemeyer, o museu da Imigração, a Casa das Rosas, todos vistos de fora porque as filas para entrar estavam imensas. Depois demos aquela voltinha de algumas horas no shopping. A noite voltamos para casa, pedimos pizza e cama porque a sexta seria cheia.

Na sexta acordamos cedinho e fomos as compras, gente que maravilha é comprar em SP, se eu morasse la não sobraria nada do meu salário, como bons turistas fomos primeiro na Rua José Paulino, e meu Deus que loucura é aquela? Sério, muita coisa, muita opção e muita, muita gente. Fui com uma listinha do que queria comprar mas as opções eram tantas que fiquei até tonta e acabei não comprando tudo que queria, sabe quando você tem muitas opções e não sabe o que escolher e acaba não escolhendo nada? Pois é, hehehe. Depois de la uma passadinha rápida na Rua 25 de março, e nessa eu fiquei realmente impressionada com a quantidade de gente e a diversidade de coisas. Há, estou falando do shopping da 25 porque na rua mesmo não deu tempo de irmos. Na sexta a noite eu não tinha forças para fazer nada, estava exausta, muita informação, muita gente, não estou acostumada a isso, foi chegar em casa, tomar banho, comer e cama.

No sábado o dia também começou cedinho, mas foi mais leve, foi dia de passeio no Zoológico, quem me conhece sabe o amor que tenho pela natureza e pelos animais, esses passeios me deixam imensamente feliz, foi um dia para relaxar em família. No caminho até o zoológico foi possível ver um pouco mais da cidade, o Mercado Municipal, o Parque do Ibirapuera, Museu do Ipiranga, um colírio para os olhos curiosos de uma capiau hehehe. No zoo foi o dia que mais andamos, foram 17826 passos segundo meu contador de passos, mas valeu a pena cada um deles, a variedade de animais é gigantesca, são mais de 3.200 animais, entre aves, répteis, mamíferos, anfíbios e invertebrados. O Zoo mantém animais raros como os orangotangos, o gavial da Malásia, os rinocerontes-brancos, o tigre branco ♥, a ararinha-azul-de-lear, dentre outras espécies. É gigantesco, mas com ótima infra estrutura, alimentação, banheiros, e carrinhos para aqueles que não querem ou não podem andar pelo zoo.

A noite foi vez de fazer um programa a dois, noturno, escolhemos uma peça do humorista Thiago Ventura no Teatro Frei Caneca, a peça começou as 00:00 e foi muuuuito divertida, rimos muito, foi o final perfeito para a viagem.

O que achei de São Paulo? Sai de SP com duas visões, uma, de uma cidade que não para, que é movimentada, cheia de opções para todos os gostos e bolsos, cosmopolita, me encantei com o tamanho de tudo, com a variedade que tem de tudo, se vai em uma livraria é gigante, o restaurante tem zilhões de opções, as lojas cheias de gente, enfim, explica o porque de ser a maior cidade do Brasil, hehehe. E a outra, foi mais uma decepção com as condições da cidade, (até por ser tudo muito), a quantidade de lixo, de pichações, de sujeira, enfim, esse lado muito urbano faz com que eu não quisesse morar lá, até porque estou acostumada com essas cidades de aspectos rurais. Mas certamente voltarei e espero que seja em breve.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Santiago, Viña del Mar, Valparaiso

No texto “Sobre Mim” eu destaco meu amor pela natureza e tudo que envolve. Cresci assistindo Globo Repórter e vendo a Gloria Maria conhecer o mundo, sentindo uma pontinha de inveja, mas ao mesmo tempo maravilhada em ver as belezas que nos envolvem. Desde então encasquetei que quero conhecer três lugares do mundo  antes de partir dessa vida.

Claro que não só três, mas esses eu preciso conhecer, são eles: um deserto, uma geleira e a Africa. Os três extremos do planeta.

E Graças a Deus eu consegui conhecer um deles, a viagem não é recente mas é com ela que eu retomo meu Blog.

Sem mais delongas vamos ao post. Há, antes quero pedir desculpas pois perdi as fotos da viagem, restaram somente as que foram feitas pelo celular.

Tenho tanto para contar sobre essa viagem, mas não quero que esse post fique muito longo, por isso vou dividir a viagem em etapas. A primeira vou falar de Santiago primeira parada.

Santiago, que lugar lindo!! um lugar onde tudo é lindo ( pelo menos os lugares que passei), as pessoas são receptivas, e tem muito, muito brasileiro, a gente se sente em casa. O primeiro dia em Santiago foi somente para dormir e no dia seguinte parti para Calama e depois para São Pedro do Atacama. Nesse dia não conheci nada da cidade além do que a vista do hotel e do carro alcançavam, mas já foi suficiente para me encantar. O vôo até la é por si só encantador, passar pela cordilheira é lindo, um visual de tirar o fôlego, minha vontade era abrir a janela do avião para ver mais de perto, hehehe.

Depois de ficar uma semana no deserto retornei a Santiago e aí sim pude conhecer a cidade. Fiquei hospedada no Parque Arauco, fica a uns 25 min do centro, um local arborizado próximo ao Shopping Parque Arauco, confesso que pirei quando cheguei la, todas as lojas sonho de consumo no mesmo lugar em um shopping aberto, nossa passei um bom tempo batendo perna la, afinal ninguém é de ferro hehehe.

Meu primeiro passeio foi um tour pela cidade, foi perfeito e pude conhecer muita coisa, o tour foi guiado pela empresa Turistour, que me acompanhou durante toda a viagem, fazendo os passeios e prestando serviço de transfer.

 

No city tour foi possível passar pelos principais pontos turísticos da cidade e conhecer um pouco da história de Santiago. O que pude perceber que é uma cidade muito bem cuidada, sem lixo na rua, com os prédios históricos bem cuidados, sem pichações, com ruas largas, grama bem cortada e parques gigantes muito bem cuidados. Um lugar que da vontade de pegar uma bicicleta e sair andando.

 

Passamos pelo Palácio de La Moneda

Esse prédio que não lembro o nome, tirando a Catedral foi umas das arquiteturas mais lindas que já vi, com vitrais de detalhes em ouro, lindo, lindo, lindo..

Catedral Metropolitana sem dúvida foi o que mais me surpreendeu, pelo tamanho e pela beleza, e tinha uma energia muito positiva, foi bom poder parar e agradecer pela viagem incrível.

Cerro Santa Lucía é um monte situado no centro de Santiago de Chile, com castelinho e um visual da cidade inteira.

 

Como amante da comida não podia deixar de passar no mercado municipal e lá pude experimentar a tão famosa centolla, um caranguejo gigante que vive em águas profundas. Tenho que falar que é uma delicia, valeu a pena provar. O mercado é um passeio muito válido, muita comida e muita, muita coisa boa.

Depois de conhecer Santiago, fiz um passeio para conhecer a Vinícola Concha e Toro, fica a uns 35km de Santiago e o caminho até lá é lindo, eu sou suspeita de falar porque amo montanhas, e no Chile para todos os lados que você olha tem montanhas. Infelizmente fui em uma época que não tinha uva madura, então só foi possível conhecer os parreirais e claro provar o vinho. O passeio pelas parreiras não é longo, eles fazem em pequenos grupos e ao término fazem uma pequena degustação dos vinhos, confesso que gostei mais dessa parte, hehehe.

Não podia deixar de conhecer Viña del Mar e Valparaiso, lugares charmosos, ideais para passeios com a família, e para comer, hehehe.

Em Viña passei no  Museo Fonck onde existe um Moai trazido da Ilha de Páscoa,

 

 E logo depois foi a vez de matar a saudade do mar nas águas geladas do Oceano Pacifico.

 

E não podia deixar de tentar a sorte no Cassino de Viña del Mar, mas estava em uma maré de azar e não levei nada, hehehe. O cassino é lindo…

Ainda em Viña turistei passando no Reloj de Flores, que foi inaugurado em 1962 na Copa do Mundo de futebol quando Viña foi uma das cidades cede.


O local escolhido para o almoço foi o Castillo del Mar, onde você almoça de frente para o oceano e é acompanhado por pelicanos que ficam a espreita.

Valparaíso, é um charme, embora não tenha fotos de lá, passei a tarde passeando pelos pontos turísticos, Villa Victoria, Casa Neruda, Elevador Polanco, Plaza Sotomayor, Praça das Armas porém o guia turístico não deixou descer pois achou que não era seguro.

Abaixo em ordem, Armada de Chille, Villa Victoria e Plaza Sotomayor.

Tentei fazer resumidamente mas deixem nos comentários suas duvidas sobre o local.

Espero que gostem.

Beijinhos

Viagem: Valle de La Luna, Valle de la Muerte

O passeio do Valle de la Luna e Valle de la Muerte, é feito no final do dia pois o último lugar a ser visitado é a Pedra  do Coiote onde pode-se apreciar o por do sol de frente para a cordilheira, e é de tirar o folego. E por se tratar de um passeio sem grandes variações de altitude pode ser feito no primeiro dia, você ainda pode aproveitar a manhã para conhecer São Pedro do Atacama, eu aproveitei a manhã para fazer o tour arqueológico que relatei no outro post.

A saída é por volta das 16:00hs ainda esta calor e o sol castiga um pouco. A primeira parada é no Valle de na Luna, confesso que fiquei muito impressionada e nunca tinha visto nada parecido, é incrivelmente lindo, para chegar no local mais alto e de melhor observação é feito uma caminhada leve, por isso proteção para o sol e muita água são importantes. Uma dica é levar uma garrafa maior, de 1,5l ou mais, e deixar no veículo que leva para o passeio, ai você pode abastecer a sua.

 Embora o lugar seja árido e sem vida a paisagem é muito, muito bonita e não tem nada parecido. Em alguns lugares do deserto não chove a mais de 23 milhões de anos.

Nessa foto acima é possível ver a Duna Grande, é muuito grande, essa duna diferentemente das outras não se movimenta, acreditam que é porque está “sentada” sobre uma rocha, e atrás da duna tem o Anfiteatro, uma formação que lembra um estadio de futebol ou o Coliseu.

 

No pórtico de entrada do Valle tem banheiros e antes de entrar você paga CLP 2.000, eu comprei o passeio já com as entradas, ai não precisou esperar em fila para pagar, um trabalho a menos né.

Depois do Valle de la Luna a próxima parada é nas Três Marias, que é um cenário totalmente diferente, o solo coberto de sal deixa a paisagem branca, o ar ter “gosto” de sal. Ali tem algumas formações rochosas bem curiosas, com formatos engraçados, e o vento é muito forte.

Vídeo das Três Marias

Depois fomos conhecer o Valle de La Muerte que é chamado assim porque quando os incas invadiram o local eles mataram os guerrilheiros e penduraram suas cabeças na entrada do vale para mostrar poder, sinistro né, heheheh. Mas é muito bonito.

Ali atrás a parte mais cinza é a unica duna que esta liberada para a pratica de snowboard, e também olha o Lincancabur majestoso ao fundo. O passeio também pode ser feito de baixo pra cima, ou seja de dentro do canyon pra fora, eu só fiz o passeio de cima, não desci o canyon porque faltou tempo.

Vídeo do visual de cima.

 

E para terminar esse passeio fantástico a última parada foi na cordilheira para apreciar o por do sol e agradecer a Deus pela oportunidade de conhecer um lugar tão fantástico. Há, ali tem a Pedra do Coiote que se você tiver paciência pode esperar na fila para tirar uma bela foto, eu não tinha ninguém comigo que pudesse registrar o momento, mas tem alguns fotógrafos que ficam ali e cobram para fazer a foto, preferi explorar o lugar que é lindo.

Vale muito a pena conhecer, o deserto todo é lindo e vai com certeza superar todas as expectativas. Há, para esse passeio é indicado ir com roupas leves, mas ao mesmo tempo que te protejam do sol e do vendo, ao cair a noite a temperatura baixa muito e você estará em uma região alta e com muito vento, então deixe casacos pesados no carro ou ônibus porque vai precisar.

Fiz o passeio pela empresa Turistour, o passeio custa CLP 10.000,00, começa por volta das 16hs e termina por volta das 21:00hs.

Viagem: Lagunas Altiplânicas e Salar do Atacama

Uma coisa é certo, se você for pro Atacama tenha consigo uma boa memoria na sua câmera porque vai precisar, cada dia e cada passeio serão milhares de fotos, os lugares são de uma beleza indescritível e você vai querer registrar tudo.

Meu terceiro passeio foi para conhecer o Salar do Atacama e as Lagunas Altiplanicas. Se prepare porque vem ai um bombardeio de fotos…

Laguna Miscanti

A saída para o passeio é cedinho, quando os passeio começam cedo o ideal é estar usando camadas de roupas para ir tirando ao longo do dia, a manhã é gelada mas assim que o sol sai a temperatura muda. Usei uma bota de couro confortável em todos os passeios, nas fotos da pra ver o estado que ela esta, heheh, e usava short e meia calça, fácil de tirar e colocar.

O passeio até as lagunas é por si só encantador, a paisagem contrasta entre o azul do céu, o avermelhado da terra e o amarelo da vegetação, essa vegetação parece um capim fofinho e confortável, da vontade de deitar, mas é mais um espinho duro e de confortável não tem nada.

Durante o caminho passamos por uma fox que estava atravessando a rua e seguiu seu caminho sem se importar com nossa presença.

Esse passeio foi o primeiro com variação de altitude, as lagunas ficam a mais de 4mil metros de altitude, para não sofrer nenhum desconforto tomei um chá de coca e levei algumas folhas para mascar caso sentisse alguma coisa, e em nenhum dia senti absolutamente nada.

Ao chegar no topo da montanha a surpresa, tão lindo que fiquei sem palavras. A primeira e maior é a Laguna Miscanti que tem uma extensão de 15km2 é abastecida pelas chuvas e pelo degelo, no inverno fica completamente congelada.

Parada para pagar a entrada (eu já comprei a entrada no pacote então só parei para fotografar mesmo).

Enfim seguimos e descemos para se encantar com a beleza do lugar… Peço desculpas pelo vídeo amador..

Laguna Miscanti

Infelizmente ou felizmente não se pode chegar perto da Laguna, é permitido andar somente dentro da trilha de pedras, isso para preservar o lugar.

Que tal morar nessa casinha? ninguém mora nela, ela apenas é usada pela guarda do local, também tem banheiros para os turistas usarem.

Logo adiante esta a Laguna Minioues, um cartão postal, uma pintura, um papel de parede do windows, não sei como descrever, só posso dizer que é a mais linda que já vi na vida.

Laguna Minioues

A lagoa é o berço de reprodução de la Tagua Cornuda, uma ave que constrói seus ninhos em plantas aquáticas, põe de 2 a 5 ovos.

Depois do passeio o grupo se reuniu para um almoço no povoado Socaire que se destaca pela culinária tradicional. Foi ótimo recarregar as energias. O passeio foi no dia 24 véspera de Natal, foi um momento de confraternizar com o grupo.

Nesse dia o passeio passou pelo Salar to Atacama, onde fica a Laguna Chaxa que em período de acasalamento esta repleta de Flamingos, infelizmente não era período de acasalamento, mas tinha alguns.

O Local contrasta o branco do sal, com o rosa das pedras e o azul da água e do céu, é lindo. O cheiro de sal no ar é algo totalmente diferente.

Há, aqui o sol castiga então proteção é muito importante. Óculos de sol, chapéu, protetor solar, e eu usava esse cachecol sobre os ombros para não queimar.

Salar do Atacama

O passeio é longo e termina por volta das 16hs, antes de regressar passamos pelo povoado de Tocanao onde é possível comprar artesanato, la tem uma senhora que cria lhamas, pedi licença e fui me desculpar por ter comido as amigas delas, hehehe.

Esse passeio foi o mais caro, custou CLP 45.000,00 em torno de R$216 com o almoço incluso, realizei pela empresa Turistuor com quem fiz todos os passeios e o translado.

Viagem: Valle del Arco Íris

O passeio no Valle del Arco Íris não estava na minha programação, porém meu voo de volta era somente no final da tarde e o passeio era curto então deu para encaixar e conhecer um pouco mais do deserto.

O Valle del Arco Íris é conhecido pelas colinas de minerais vulcânicos que dão diferentes tons de cores tais como vermelho, verde, azul, cinza e violeta.

No caminho até o valle é possível apreciar a cordilheira, eu, uma apaixona por montanhas adorei, a paisagem é diferente de todas, você não vai encontrar nenhum lugar exatamente igual ao outro no Atacama. 

O valle é extremamente grande, a dica é ir com um guia para não se perder, também é importante ficar dentro das trilhas, não banque o explorador sozinho.

As cores predominantes são vermelho, branco e verde, devido a oxidação natural do carbonato de cálcio, que deixa a pedra branca, da arcilla que deixa vermelha e do óxido de cobre que deixa verde.

O passeio não é muito procurado, eu não diria que é imperdível, mas se sobrar tempo vale a pena conhecer.

O passeio inclui uma parada até o setor de Yerbas Buenas, onde encontramos formações de rocha vulcânica que contam a história dos povos que habitaram o lugar através de suas pinturas rupestres.

Pequena caverna usada para descanso entre as rotas

O local fazia parte da Rota Inca, uma ligação que vinha do Peru até onde hoje é Santiago, uma rota de escambo, onde os petróglifos (inscrições efetuadas nas rochas) representavam a variedade do comércio. Além de serem uma forma de passar a história dos habitantes do local para as gerações futuras. 

Desenhos mostram os diferentes animais que eram comercializados

 

Estudos mostram que não foram todas realizadas em uma mesma época, essa conclusão é em decorrência da diferença de traçado do desenhos.

Inscrições nas rochas mostram como era o comercio na região

 

Ao fundo uma tropa de Lhamas

Esse passeio foi o único que não fiz pela Turistour porque eu comprei no dia em São Pedro, ele custa CLP 30.000,00 em torno de R$140,00 mas se assim como eu comprar na hora e pechinchar consegue um bom desconto porque eles querem lotar a van, ele dura em torno de 3:30hs.

Espero que tenham gostado, beijos e até o próximo.

Viagem: Deserto do Atacama, Gêiser del Tatio

Madrugar, foi o que tive que fazer para esse passeio, o hotel deixou um lanchinho pronto na recepção e as 4:30 o guia chegou no hotel para o passeio, mesmo com frio o grupo estava animado.  O caminho foi muito gostoso, ainda estava escuro e foi possível ver as estrelas, alias o céu mais lindo do mundo eu vi no Atacama.

Dica: Esse passeio vai te levar a 4300mts de altitude, então nada de beber álcool e exagerar na comida no dia anterior.

O motivo de ser um passeio tão cedo é que a atividade mais intensa dos Geisers acontece antes do sol nascer, então nada de mimimi e trate de pular cedo da cama porque vai valer a pena. Depois de aproximadamente uma hora de viagem e subir 4300metros chegamos no campo geométrico com uma temperatura de -7ºC, isso mesmo -7 graus, o motivo de eu não ter fotos da atividade dos gêiser é esse, eu não conseguia parar de tremer, tava muito, muito frio, mãos congelando, somente depois que o sol nasceu é que consegui me mexer e explorar o lugar, hehehe.

Assim que o sol sai a atividade fica muito baixa, com poucas erupções e saindo somente fumaça, o caminho é delimitado por uma trilha de pedras que mostra onde você pode ir e onde não é seguro.

No final do post vou deixar um vídeo mostrando melhor já que não tenho muitas fotos.

Confesso que fiquei boa parte do tempo perto do vapor para me manter aquecida, mas a água sai muito quente então nada de encostar.

Nesse momento eu já estava aquecida, mas o ideal é levar um casaco térmico para passeios assim, a variação de temperatura é muito grande, eu estava com quatro camadas, o passeio terminou depois do meio dia , aí fui me desfazendo delas ao longo da manhã.

O tour permite um banho nas piscinas com águas termais, mas eram 7 da manhã e não tive coragem de tirar a roupa, ainda estava frio e teríamos mais passeios na manhã.

 

Dicas

  • O ideal é fazer esse passeio no último dia pois seu organismo já estará acostumado com a altitude e não terá nenhum problema.
  • Se mantenha aquecido e hidratado
  • Não subestime o frio e muito menor o calor, vai começar o passeio com muito frio e terminar debaixo de um sol escaldante.
  • Não esqueça o protetor solar, chapéu e a água.
  • Se for tomar banho nas piscinas não esqueça de roupa apropriada e toalha.
  • Cuidado ao andar próximo das erupções porque o chão estará congelado e fica muito escorregadio. 

Na volta entornando a cordilheira passamos pelo Valle Putana, que segundo a história é chamado assim porque tinha uma certa Ana que adorava namorar com todos os homens da região, ela foi morta no vale, daí o nome de Putana, não sei se é real ou se o guia estava tirando onda com minha cara hehehe.

O que eu sei que a água que corre nesse vale é muito cristalina, é um refugio para pássaros, com água e alimento em abundância.

Depois o passeio nos leva até a Villa Machuca um pequeno povoado de pastores de lhamas, onde tem um pastel de queijo de lhama e espetinho de carne de lhama (eu provei os dois, vale a pena provar ein.), a vila possui uma igreja centenária, vivem 09 famílias no local que sobrevivem do que plantam e do turismo.

Quem constrói a casa põe sobre ela uma cruz para espantar os maus espíritos.

O lugar é um charme, pessoas simples mas que acolhem muito bem o turista.

O passeio custou CLP 26000,0 uns R$125,00, pela agencia Turistour, eu super indico a agência, são profissionais muito qualificados, falam inglês e espanhol, e dão total suporte.

Espero que tenham gostado, até o próximo post, beijos.

Viagem: Deserto do Atacama, Tulor e Pukara de Quitor

Seguindo minha viagem depois de Santiago peguei um voo para Calama e de la segui com um transfer até São Pedro do Atacama. Eu estava a mil, não via a hora de chegar e quando o avião pousou em Calama eu estava muito, muito feliz. Na chegada o céu azul sem nenhuma nuvem mostrava como seriam os próximos dias.

Céu em Santiago
Céu em Calama

E foi esse céu azul que me acompanhou durante todos os dias da minha viagem. O Deserto do Atacama é conhecido como um dos mais secos, a umidade no dia que cheguei estava abaixo de 10%, aí haja água para hidratar, água é um item indispensável para qualquer passeio, tem que ter sempre a mão!!

Falando nisso, olha como acordei no segundo dia de estadia, minha pele estava extremamente ressecada e descamando, tive que abusar dos hidratantes para dar um jeito.

Fiquei hospedada no Hotel Tulor, que é inspirado na Aldeia Tulor, a aldeia foi um dos primeiros assentamentos humano no Vale Atacama, hoje restam apenas ruínas das construções adobe que existem ha mais de 3 mil anos.

O Hotel conta com uma estrutura razoável, possui uma piscina pequena, cabanas muito aconchegantes construídas de barro quase fieis as originais, mas com muito conforto, o modelo faz com que durante o dia fique fresquinho e a noite fica quente, nem precisei ligar o aquecimento ou o ar durante minha estadia.

O hotel fica muito bem localizado, próximo da Rua Caracol que é a rua principal onde se concentra todo movimento, lojas, mercadinhos e restaurantes.

Cheguei no Atacama perto das 20:00hs, ainda estava dia mas logo o sol se pôs e o frio chegou, 5ºC a noite, pedi recomendação no hotel de onde poderia jantar e eles me indicaram o restaurante Ayllu que servia carne de lhama, obvio que eu precisava provar, la fui eu, chegando fui surpreendida pela quantidade de brasileiros trabalhando no local já me senti em casa, pedi a Lhama e  para acompanhar me indicaram uma cerveja artesanal feita no local, e gente, incrivelmente gostosa, eu provei a de Rica rica uma planta local, a cerveja tinha um toque cítrico, perfeita. E para esquentar nada como ficar ao lado do fogo, aliás, quase todos os restaurantes possuem uma fogueira no centro pra gente se aquecer nas noites frias do deserto.

Outro local que fiz muitas refeições foi o Todo Natural, com pratos incríveis, umas saladas maravilhosas e o salmão de la, me da água na boca lembrar, e tudo  muito saudável.


 

Alem desses gostei muito do Adobe, todos contam com prato típicos e uma variedade de carnes e peixes, alias, os peixes de lá são muito bons, apesar das adversidades pra chegar.

No primeiro dia não é recomendado que se faça nenhum  passeio que exija esforço, até o organismo  se acostumar com a altitude, temperatura e umidade. Por isso nesse dia decidi conhecer  a cultura e a história do lugar fazendo um passeio arqueológico, onde conheci a Aldeia de Tulor e Pukara de Quitor.

No passeio arqueológico foi possível conhecer as ruínas dessa aldeia, as construções de adobe eram interligadas entre si e rodeadas por uma muralha perimetral que abrigava em torno de 200 pessoas, mas ainda há muito o que descobrir já que eles não tem real dimensão do quão grande é, há ainda muito o que escavar, e boa parte das descobertas estão quase soterradas pela ação do vento.

Foram recriadas duas adobes no local do sítio arqueológico para que tenhamos visão de como a tribo vivia.

Depois fomos até as ruínas de Quitor, uma fortaleza construída por volta do século XII com rochas e barro, a fortaleza foi construída no alto com visão estratégica de quem chegava, foi tomada primeiramente pelos Incas que em 1540 foram derrotados pelos Espanhóis, ela resistiu por mais de 20 anos antes de sua queda. Em 1982 foi declarada monumento nacional.

Muro que cerca a fortaleza

Cultura Atacamenha

Império Inca

Em 1954 a Espanha derrota os incas e assume o território da região

O passeio até o sítio vale muito a pena, a história Atacamenha é muito rica, no passeio você pode visitar um museu que preserva  a história do lugar.

E olha a vista do alto, da para ver todo o vale e lá no fundo o majestoso Lincancabur!

 

Ao final do passeio a ultima parada foi para visitar uma família que ainda vive conforme costumes de seus antepassados. Vivem do que plantam, criam alpacas e ovelhas, plantam grão, e cuidam de um jardim lindo. Foi muito bacana, o grupo foi recebido com uma mesa posta para café da manhã, com pães, geleia e suco geladinho.

Esqueleto de um cacto

Todos meus passeios foram guiados pela empresa Tutistour, que tem um atendimento muito bom, guias que falam em espanhol e inglês, e era a unica que aceitava pagamento com cartão, as demais somente em dinheiro.

O passeio completo custa CLP 25.000,00 fiz pela empresa Turistour

Meu passeio continua no próximo post. Qualquer dúvida por favor deixe nos comentários.

Beijos.